quarta-feira, 8 de junho de 2016

O Presidente "provida"


Para todos os que se juntaram à onda dos afectos que o elegeu e preferiram não recordar aquele activista alegadamente "provida" que fez campanha pelo não à despenalização do aborto, o veto de Marcelo à lei das barrigas de substituição, que hoje foi tornado público, é uma boa oportunidade para se lembrarem do conservador que fizeram Presidente e crescerem um pouco enquanto eleitores e enquanto cidadãos. O Marcelo dos afectos de hoje e o Marcelo de então são o mesmo. O de há vinte anos era a favor do aborto clandestino. O Marcelo do veto de hoje é a favor das barrigas de aluguer clandestinas. A imaturidade política e a inconsequência dos portugueses também parece que não mudaram tanto.

2 comentários:

fb disse...

Para todos os que se juntaram à onda dos afectos que o elegeu e preferiram não recordar aquele activista alegadamente "provida" que fez campanha pelo não à despenalização do aborto, o veto de Marcelo à lei das barrigas de substituição, que hoje foi tornado público, é uma boa oportunidade para se lembrarem do conservador que fizeram Presidente e crescerem um pouco enquanto eleitores e enquanto cidadãos. O Marcelo dos afectos de hoje e o Marcelo de então são o mesmo. O de há vinte anos era a favor do aborto clandestino. O Marcelo do veto de hoje é a favor das barrigas de aluguer clandestinas. A imaturidade política e a inconsequência dos portugueses também parece não ter mudado muito.

Anónimo disse...

Sempre achei que ele era o clone simpático do Aníbal.