segunda-feira, 28 de março de 2016

Palhaçada


O "tribunal" de Luanda condenou esta Segunda-feira os 17 activistas angolanos do grupo de Luaty Beirão a penas entre dois anos e três meses e oito anos e seis meses de prisão efectiva. Da próxima vez que um governante português se reunir com a filha da cleptocracia angolana, que não seja para lhe oferecer mais um banco e sim para lhe perguntar se considera que ler um livro é crime. Da próxima vez que um Governante português se comunicar com  a ditadura angolana, que não seja para lhe falar de amizade e sim para lhe pedir explicações sobre o cidadão português que foi condenado a uma pena de 5 anos e meio apenas por ter lido um livro. Da próxima vez que um responsável político português se referir a Angola como uma democracia irmã da nossa, alguém que lhe aponte a vergonha que não tem em apoiar um regime monstruoso e lhe pergunte a troco de que espécie de benefícios pessoais e partidários o faz, se por acaso julga que somos todos tolinhos.

2 comentários:

Ana Lucia disse...

Pena é os nossos políticos e governantes pouco olharem para os direitos humanos ao invés dos negócios. Duvido que algo parecido se faça no nosso País... Interesses mais altos se levantam

cid simoes disse...

Como não sei inglês, não compreendo o que diz o mártir, mas que os espinhos e o sangue ficam bem no mural...