quinta-feira, 17 de março de 2016

As ditaduras nascem assim



Quando um Governo de esquerda é eleito e começa a libertar um país do jugo de multinacionais estrangeiras e a redistribuir a riqueza que estas absorviam, canalizando-as para mais Educação, Saúde, Habitação e combate à pobreza, a direita que anteriormente mandava no jogo como queria e lhe apetecia estrebucha de raiva. Quando esse Governo de esquerda obtém como resultado dessa inversão da orientação da política económica desse país o reconhecimento internacional de um sucesso aclamado como um milagre económico capaz de compatibilizar crescimento e desenvolvimento, essa direita bem pode esbracejar, gritar, usar a comunicação social que detém para tentar angariar apoios, o Governo do povo tem o povo ao seu lado. Mas apenas enquanto for o Governo do povo. Porque se o dinheiro começar a correr no mesmo sentido de antes, se esse Governo deixar que a inflação coma o alcance dos programas que foram as suas bandeiras, se as suas políticas deixarem de se distinguir das da direita que os vai sabotando como pode, a base de apoio que estava no povo dilui-se à medida que a desesperança e as dificuldades impostas por salários que nunca chegaram a ser de gente regressem a casa. O Brasil estava neste ponto um pouco antes da reeleição de Dilma.
Entretanto os brasileiros foram descobrindo que num país com salários de miséria como o seu a construção de um estádio de futebol para um mundial custa várias vezes mais do que um estádio construído num país com salários à alemã. Que o filho do operário que elegeram Presidente se tornou milionário do dia para a noite. Que os construtores civis e os banqueiros estão entre os melhores amigos de figurões de quase todos ospartidos. Nos últimos dias, primeiro, com razão ou não, é impossível garanti-lo, que a Justiça capturada pela direita quis tramar o Presidente Lula, depois que, em desespero de causa e para fintar a Justiça, a Presidente Dilma trouxe Lula para a imunidade do seu Governo e para o conforto de um julgamento a fazer por juízes nomeados por si. A seguir, a justiça direitista despromove-se a uma coisa justiceira que põe a circular uma gravação de uma escuta telefónica à Presidente do país e, como se tudo isto não fosse grave já bastante mais do que o suficiente, um juiz decide que a Presidente não é livre de escolher quem queira para ministro da Casa Civil do seu Governo. O Brasil está em polvorosa. É assim que nascem as ditaduras. Faço votos que os brasileiros saibam defender a democracia que, apesar de todos os sobressaltos e escândalos, lhes devolveu a liberdade e a esperança num futuro melhor. Em ditadura há sempre corrupção, a diferença é que a casta que controla a máquina dos enriquecimentos não permite que se saiba da sua existência.

1 comentário:

fb disse...

É assim que nascem as ditaduras. Faço votos que os brasileiros saibam defender a democracia que, apesar de todos os sobressaltos e escândalos, lhes devolveu a liberdade e a esperança num futuro melhor. Em ditadura há sempre corrupção, a diferença é que a casta que controla a máquina dos enriquecimentos não permite que se saiba da sua existência.