quarta-feira, 9 de março de 2016

A melhor de sempre com as palavras "Cavaco Silva"



Foi um dos maiores protagonistas daquele revanchismo que há mais de 40 anos vem ajustando contas com o 25 de Abril. Sempre foi amicíssimo e comensal das mesmas mesas que enriqueceram alguns dos maiores corruptos da nossa História recente. Ora condecorador de bandidos, ora perseguidor de gigantes da nossa Cultura. Um perito em facadinhas fiscais do seu tamanho. Um especialista em exortações à aceitação da injustiça social. Uma boca cheia umas vezes de bolo rei, outras de mão de princesa espanhola, outras ainda de lamúrias sobre a triste vida a que o condena um pecúlio mensal equivalente ao de uma vintena das centenas de milhar de portugueses cuja miséria faz parte do seu conceito de “interesse nacional”. Uma vida vazia de gestos nobres e grandes. Um rabo sentado sobre uma Constituição que nunca se dignou a respeitar, menos ainda a fazer cumprir. Até que enfim. Termina hoje o segundo mandato daquele que foi o pior Presidente da República da nossa democracia. A repugnância que a figurinha me desperta obriga-me a registar o momento com enorme satisfação. Porém, ver alguém que tanto, tudo fez para justificar ser demitido sair pelo seu próprio pé, apenas porque o seu tempo expirou, arreda-me de qualquer festejo. Sem dúvida alguma, Cavaco Silva desaparecer das nossas vidas é a melhor notícia com o seu nome que alguma vez já tivemos ocasião de ler ou ouvir. E nem esta é aquela maravilha: o povo que o fez acontecer e lhe proporcionou uma vida política tão longa permanecerá por aí, fiel ao que não se cansa de continuar a ser.

1 comentário:

fb disse...

Cavaco Silva desaparecer das nossas vidas é a melhor notícia com o seu nome que alguma vez já tivemos ocasião de ler ou ouvir. E nem esta é assim tão boa: o povo que o fez acontecer e lhe proporcionou uma vida política tão longa permanecerá por aí, fiel ao que não se cansa de continuar a ser.