quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

E você, (ainda) acredita nos glutões?


São aos milhares as queixas que por estes dias inundam as associações de defesa do ambiente e dos animais em geral. Tudo porque de há uns tempos para cá a direita e os seus avençados da comunicação social começaram a engolir sapos, crueldade das crueldades, vivos e inteiros , fazendo perigar a espécie.

Tudo começou quando descobriram que segundo a Constituição da República Portuguesa não basta ser o partido mais votado para ser Governo, é preciso reunir o suporte da maioria  do Parlamento. Esta curiosa moda de comer batráquios foi inaugurada pelo próprio Presidente da República, que serviu o primeiro sapo ao tentar contrariar a Lei fundamental.

O sapo presidencial caiu-lhes tão mal que começaram a dizer que a esquerda jamais se entenderia num acordo que viabilizasse um Governo com suporte maioritário no Parlamento. E lá comeram outro sapo, a esquerda entendeu-se mesmo. Depois disso nunca mais pararam de engolir bicharada verde, Cavaco teve que engolir um e empossar o Governo das esquerdas e não lhes restou outra que não a de imitarem o seu Presidente, engolindo sapos aos milhares, como se fossem pílulas do dia seguinte, as quais, como é sabido, se tomam para evitar chorar sobre o leite derramado.

A seguir era a Comissão Europeia que não iria permitir, a Comissão europeia não se opôs com aquela veemência que lhes interromperia a dieta, mais sapos. Que os mercados iriam ficar nervosos, mas os mercados andam atemorizados é com a situação financeira dos colossos da banca europeia, não lhes passaram cartucho, ainda mais sapos. Que a esquerda nunca aprovaria um orçamento de mais austeridade, e a esquerda aprovou-o no pressuposto de uma melhor distribuição dos sacrifícios e de dar um forte sinal de que é possível devolver o país às pessoas, precisamente o oposto do projecto de país destes glutões, novamente ainda mais sapos. Para cúmulo,  a Moody's deu nota positiva ao Orçamento que os alarves rotularam de irresponsável, chuva de sapos.

E agora até a renegociação da dívida e a nacionalização do Novo Banco deixaram de ser temas tabu e começaram a ser discutidos abertamente fora do espartilho ideológico da voracidade destes comilões da esperança de voltarmos a ser um país minimamente decente. Os sapos que se cuidem, este brutal sapicídio não vai ficar por aqui.
E você, caro leitor, também é daqueles que ainda acreditam nos glutões?

1 comentário:

fb disse...

A seguir era a Comissão Europeia que não iria permitir, a Comissão europeia não se opôs com aquela veemência que lhes interromperia a dieta, mais sapos. Que os mercados iriam ficar nervosos, mas os mercados andam atemorizados é com a situação financeira dos colossos da banca europeia, não lhes passaram cartucho, ainda mais sapos. Que a esquerda nunca aprovaria um orçamento de mais austeridade, e a esquerda aprovou-o no pressuposto de uma melhor distribuição dos sacrifícios e de dar um forte sinal de que é possível devolver o país às pessoas, precisamente o oposto do projecto de país destes glutões, novamente ainda mais sapos. Para cúmulo, a Moody's deu nota positiva ao Orçamento que os alarves rotularam de irresponsável, chuva de sapos.