quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Ainda mais um dia em grande


Foi um dia em grande para a estabilidade de Ricardo Salgado. O dono disto tudo obteve um desconto de  1,5 milhões na caução que tem que pagar para ficar em liberdade, viu a sua pensão de reforma triplicar para os 90 mil euros mensais que fixou para si próprio e irá receber retroactivos no valor de quase 1 milhão de euros do fundo de pensões do banco que faliu. No mesmo dia, uma centena de donos disto tudo subscreveu um manifesto "que traduz em grito de revolta a preocupação de 100 empresários pela incerteza política e o receio de um governo suportado pelo Bloco de Esquerda (BE) e pelo Partido Comunista Português (PCP)". Eles querem a certeza de mais dias em grande, e este foi mais um,  mas sentem que o banquete pode estar a acabar. Que acabe depressa. Nenhum país pode desenvolver-se regido pelas leis deste parasitismo que nos sugou até  começarmos a aprender a enfrentá-lo. E apenas começámos a aprender, atenção. O medo deles é que aprendamos MESMO.

3 comentários:

fb disse...

Foi um dia em grande para a estabilidade de Ricardo Salgado. O dono disto tudo obteve um desconto de 1,5 milhões na caução que tem que pagar para ficar em liberdade, viu a sua pensão de reforma triplicar para os 90 mil euros mensais que fixou para si próprio e irá receber retroactivos no valor de quase 1 milhão de euros do fundo de pensões do banco que faliu. No mesmo dia, uma centena de donos disto tudo subscreveu um manifesto "que traduz em grito de revolta a preocupação de 100 empresários pela incerteza política e o receio de um governo suportado pelo Bloco de Esquerda (BE) e pelo Partido Comunista Português (PCP)". Eles querem a certeza de mais dias em grande, e este foi mais um, mas sentem que o banquete pode estar a acabar. Que acabe depressa. Já chega.

Unknown disse...

Mafia portuguesa

Anónimo disse...

Estou "parva" com a "lata" dos "senhores disto tudo"...
A esquerda atormenta muito estes ladrões do povo...