domingo, 7 de junho de 2015

Salvem os alfredos


De Pedro diz-se que pregou uns calotes à Segurança Social que só pagou quando foi descoberto. De António sabe-se que quer desfalcar a Segurança Social porque, tal como Pedro, quer tudo menos que os grandes empregadores do país passem sacrifícios. Estes dois amigos das nossas velhices querem continuar a descapitalizar a Segurança Social generalizando salários cada vez mais mínimos que geram descontos cada vez mais mínimos e desemprego, o desespero que gera salários cada vez mais mínimos, descontos cada vez mais mínimos e expulsa do país mão-de-obra qualificada capaz de gerar descontos que asseguram a sustentabilidade das Seguranças Sociais de países que, apesar de  não terem investido um cêntimo na sua Educação, sabem valorizar as suas qualificações pagando-lhes salários decentes. Pedro e António são os mais bem colocados para prolongarem este pesadelo por mais quatro anos. A cidadania responsável será convocada – todos somos poucos – para lhes travar o passo nas eleições de Outubro. E depois temos o Alfredo, o cornudinho da foto que ilustra este post. O ranhosinho tem apenas dois mesinhos, foi resgatado de um panelão de água a ferver e encontra-se para adopção responsável por quem saiba cuidá-lo e prometa não o comer. Quem não quiser dar o tratamento devido ao Pedro e ao António  que continue a desviar atenções e a queimar energias a brincar aos Alfredos. Coitadinhos, pá! Faz de conta que não nos estão a dar cabo das vidas.

1 comentário:

fb disse...

De Pedro diz-se que pregou uns calotes à Segurança Social que só pagou quando foi descoberto. De António sabe-se que quer desfalcar a Segurança Social porque, tal como Pedro, quer tudo menos que os grandes empregadores do país passem sacrifícios. Estes dois amigos das nossas velhices querem continuar a descapitalizar a Segurança Social generalizando salários cada vez mais mínimos que geram descontos cada vez mais mínimos e desemprego, o desespero que gera salários cada vez mais mínimos, descontos cada vez mais mínimos e expulsa do país mão-de-obra qualificada capaz de gerar descontos que asseguram a sustentabilidade das Seguranças Sociais de países que, apesar de não terem investido um cêntimo na sua Educação, sabem valorizar as suas qualificações pagando-lhes salários decentes. Pedro e António são os mais bem colocados para prolongarem este pesadelo por mais quatro anos. A cidadania responsável será convocada – todos somos poucos – para lhes travar o passo nas eleições de Outubro. E depois temos o Alfredo, o cornudinho da foto que ilustra este post. O ranhosinho tem apenas dois mesinhos, foi resgatado de um panelão de água a ferver e encontra-se para adopção responsável por quem saiba cuidá-lo e prometa não o comer. Quem não quiser dar o tratamento devido ao Pedro e ao António que continue a desviar atenções e a queimar energias a brincar aos Alfredos. Coitadinhos, pá! Faz de conta que não nos estão a dar cabo das vidas.