quinta-feira, 25 de junho de 2015

Gostei de ler: "PS - Produto e Serviço"


«António Costa e o Partido Socialista já esqueceram Lisboa mas Lisboa não os vai esquecer. Quem se lembra do “oásis” de Pedro Santana Lopes na Figueira da Foz não pode agora deixar de pensar nos novos oásis que António Costa deixa na capital do país. E o oásis é sempre uma miragem e é sempre seco...

O oásis da Lisboa liberal é a seca profunda de quem já não consegue acompanhar o aumento das rendas e não lhe resta outra solução senão o “ir para fora cá dentro”. E são pessoas, são mais umas centenas de lojas, mercados e pequenos negócios… fim da linha, porque as rendas são sempre mais altas e afinal, bonito é vender cafés a 1,5€ num café trendy no Mercado da Ribeira. Não tem estilo nenhum vender um molho de bróculos ao senhor Marco do bairro de Santos… (já em Berlim se avança com a criação de um teto para as rendas)

O oásis liberal é a criação de escalões sociais de usufruto da cidade e a poluição como instrumento de seleção. Enquanto o menino Martim Afonso Albuquerque de Mello pode andar de BMW - 2.800cc - todo o dia em Lisboa o Tó Mané dos Olivais foi bloqueado fora da cidade com o seu Peugeut de 1999. Ao mesmo tempo, os navios de cruzeiro e de carga colocam a cidade de Lisboa com níveis de poluição atmosférica “muito elevados”, segundo a Quercus, mas os transeuntes do turismo são importantes e vêm cá deixar algum dinheiro nas cadeias de hotéis. E os tuk-tuk ensurdecedores, e os táxis, e as carrinhas e camionetas das empresas de transportes? Poluição? Caos rodoviário? …na liberdade do dinheiro não se pode tocar, é a nova democracia.

O oásis liberal é vender a história e a cultura a quem tenha dinheiro, como produto ou serviço. E se por acaso o Tó Mané dos Olivais não pode entrar em Lisboa com o carro, já o João de Santo António dos Cavaleiros pode. Tem sorte porque tem um Clio dos novos – 2004! E aí vem o João visitar o Castelo de São Jorge. Ou talvez não… São 8,5€ a visita do João. O João vem com a família? Perfeito, temos um desconto ótimo para famílias: 20€ e podem entrar no marco histórico da capital e do país. Ah! Que infelicidade, tem salário baixo ou a companheira desempregada? Enfim, pode ver de fora João, também é bonito.

O oásis liberal é selecionar as pessoas e educá-las na exclusão. Porque o Fernando de Alfama, que é mesmo, mesmo de Lisboa, está a caminho do Miradouro do Elevador de Santa Justa. Ainda há pouco tempo foi lá ao café, pois desde que fosse a pé, não pagava. Oh Nando, que azar, agora não há café e alguém decidiu que só sobe e só espreita quem a moedinha deixa (1,5€). Mas não fiques triste Nando, afinal, podes ir para casa e ver no teu computador a visita virtual 3d! É o máximo! Aproveita, é grátis!

O oásis liberal é o oásis do Partido Socialista, o mesmo do Partido Social Democrata. O oásis liberal é uma cidade que se quer para hoje, para que produza dinheiro hoje e para ser usufruída por quem tenha dinheiro hoje. Se não há transportes de qualidade, se não há mobilidade, se não há proteção ambiental,… se tudo isto significa o consumir da própria cidade, a sua destruição enquanto lugar de vida, de história e de culturas, não é assim tão grave.

Afinal, o oásis liberal é transformar tudo num produto e num serviço, e a cidade também. Nem PS nem PSD desafiarão esse dogma, nem aqui, nem em lado nenhum porque eles próprios se tornaram nisso: num produto e num serviço.» – Rui Maia, no esquerda.net.

1 comentário:

fb disse...

O oásis liberal é o oásis do Partido Socialista, o mesmo do Partido Social Democrata. O oásis liberal é uma cidade que se quer para hoje, para que produza dinheiro hoje e para ser usufruída por quem tenha dinheiro hoje. Se não há transportes de qualidade, se não há mobilidade, se não há proteção ambiental,… se tudo isto significa o consumir da própria cidade, a sua destruição enquanto lugar de vida, de história e de culturas, não é assim tão grave.