quarta-feira, 13 de maio de 2015

Da série "coisas que não alteram sondagens"



Francisco Banha diz que tem uma missão: fazer a “evangelização do empreendedorismo”. Pedro Passos Coelho recordou-o, numa entrevista ao PÚBLICO, em 2012, como alguém “com muita experiência nas relações com o Estado”. Foi por isso, aliás, que foi contratado, por sugestão do seu amigo e parceiro na gestão da Tecnoforma, Francisco Nogueira Leite, para fazer “em outsourcing” a “gestão financeira da empresa”. Isto foi em 2006 e 2007. Hoje, Pedro Passos Coelho é primeiro-ministro, Francisco Nogueira Leite foi nomeado pela ministra das Finanças para chefiar a parte do BPN que ficou sob alçada do Estado (a parte má, das dívidas de cobrança difícil). E Francisco Banha, através da sua empresa de contabilidade e consultoria, voltou a ser contratado, sem concurso, facto que é capaz de pôr a impoluta claque rosa em polvorosa, eles nunca fizeram nada do género, mas que em bom rigor apenas confirma o que atrás se lê, que o nosso empreendedor do dia é mesmo um especialista em relações com o Estado. Abstencionistas: venham de lá esses “é uma vergonha”.

1 comentário:

fb disse...

Francisco Banha, através da sua empresa de contabilidade e consultoria, voltou a ser contratado, sem concurso, facto que é capaz de pôr a impoluta claque rosa em polvorosa, eles nunca fizeram nada do género, mas que apenas confirma o que atrás se tinha dito: aquele empreendedor é mesmo um especialista em relações com o Estado. Abstencionistas: venham de lá esses “é uma vergonha”.