domingo, 29 de março de 2015

Madeira: eles por lá tudo bem (também)


Albuquerque ou Jardim? Tanto faz, foi a resposta dos madeirenses. Estão satisfeitos com o que a vida lhes oferece por lá. Não houve surpresa na renovação da maioria absoluta conseguida nas eleições regionais de hoje pela máquina do PSD-Madeira. O CDS obteve um resultado em linha com o esperado. O recorde da abstenção, que ultrapassou pela primeira vez os 50%, impressiona mas também não surpreende. Já a implosão do PASOK-Madeira, que coligado obteve o pior resultado de sempre, teve o condão de proporcionar a tirada de humor da noite, com Porfírio Silva, secretário nacional do PS, a atirar as culpas da hecatombe à multiplicação de candidaturas: realmente, dava imenso jeito que as surpresas movimento Juntos Pelo Povo (5 mandatos, não tinha nenhum), PCP (2, mais 1 mandato) e Bloco de Esquerda (2, não tinha nenhum) tivessem abdicado de se apresentarem a eleições, oferecendo os seus 9 mandatos ao PS, que reparte 6 mandatos com os restantes parceiros de coligação. As três surpresas têm todas elas motivos para festejarem as apostas ganhas, sobretudo a maior delas, o movimento Juntos Pelo Povo. E amanhã será um bom dia para Bloco e PCP começarem a reflectir sobre como foi possível um movimento de cidadãos que apareceu do nada ter conseguido mais um deputado do que a soma obtida por dois partidos com uma estrutura e com meios que o primeiro não dispõe. Se calhar, há formas mais eficazes de fazer passar a mensagem. Digo eu.

1 comentário:

fb disse...

Realmente, dava imenso jeito que as surpresas movimento Juntos Pelo Povo (5 mandatos, não tinha nenhum), PCP (2, mais 1 mandato) e Bloco de Esquerda (2, não tinha nenhum) tivessem abdicado de se apresentarem a eleições, oferecendo os seus 9 mandatos ao PS, que reparte 6 mandatos com os restantes parceiros de coligação. As três surpresas têm todas elas motivos para festejarem as apostas ganhas, sobretudo a maior delas, o movimento Juntos Pelo Povo. E amanhã será um bom dia para Bloco e PCP começarem a reflectir sobre como foi possível um movimento de cidadãos que apareceu do nada ter conseguido mais um deputado do que a soma obtida por dois partidos com uma estrutura e com meios que o primeiro não dispõe. Se calhar, há formas mais eficazes de fazer passar a mensagem. Digo eu.