quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Aldrapolitik, versão Galamba


Eles agora é como se não tivessem também assinado o memorando, aceitado o Tratado Orçamental, rejeitado a renegociação da dívida, aprovado o Tratado de Lisboa sem consulta popular, entre outras façanhas. O socialista João Galamba desafiou o primeiro-ministro a “explicar o que pensa" sobre as declarações do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sobre o tratamento indigno aos países da periferia do euro, tendo em conta que o apoiou para presidir à Comissão. Eles agora é como se também não tivessem votado no mesmo Juncker, ao lado de PSD, CDS e dos Marinhos desta vida. Gosto muito de os ouvir falar. Tens cá uma escola, ó Galamba!

Da mesma escola: "O que disse o presidente Juncker é a pedra que faltava para encerrar definitivamente este ciclo político." Foi assim que o líder do PS, António Costa, reagiu ao mea culpa do actual presidente da Comissão Europeia em relação à actuação da troika. Concorda? Discorda? Não o disse. Sobre as culpas de um PS que sempre aceitou as "inevitabilidades" que deixaram de o ser, naturalmente, também nem uma palavra.


1 comentário:

fb disse...

Eles agora é como se não tivessem também assinado o memorando, aceitado o Tratado Orçamental, rejeitado a renegociação da dívida, aprovado o Tratado de Lisboa sem consulta popular, entre outras façanhas. O socialista João Galamba desafiou o primeiro-ministro a “explicar o que pensa" sobre as declarações do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sobre o tratamento indigno aos países da periferia do euro, tendo em conta que o apoiou para presidir à Comissão. Eles agora é como se também não tivessem votado no mesmo Juncker, ao lado de PSD, CDS e dos Marinhos desta vida. Gosto muito de os ouvir falar.