domingo, 14 de dezembro de 2014

Nós e o terrorismo social que nos é imposto


Temos o direito a escolher o sistema económico sob o qual vivemos. As pessoas vivem actualmente torturadas por um sistema orientado exclusivamente para produzir lucros que destroem riqueza. Como bem social que é, o trabalho deve ser repartido por todos com salários dignos.  O terrorismo social destes dias tem consequências que não se circunscrevem ao curto prazo, a nossa comunidade pagará os seus custos durante décadas. Algumas ideias expressas na intervenção de Raquel Varela – ver vídeo –  na assembleia cidadã organizada pelo movimento Juntos Podemos, que decorre neste fim-de-semana em Lisboa. Detalhes aqui.

3 comentários:

fb disse...

Temos o direito a escolher o sistema económico sob o qual vivemos. As pessoas vivem actualmente torturadas por um sistema orientado exclusivamente para produzir lucros que destroem riqueza. Como bem social que é, o trabalho deve ser repartido por todos com salários dignos. O terrorismo social destes dias tem consequências que não se circunscrevem ao curto prazo, a nossa comunidade pagará os seus custos durante décadas. Algumas ideias expressas na intervenção de Raquel Varela – ver vídeo – na assembleia cidadã organizada pelo movimento Juntos Podemos.

Adérito disse...

POIS! Os urbanitas de todos os partidos andam desde sempre e em particular desde a adesão á UE a valorizar os seus cursos de jockey de butões! Valorizar o trabalho uma ova. Os únicos que viram o seu trabalho valorizado foi a imensa função pública que nem cães de fila elege os corruptos que nos governam.

Filipe Tourais disse...

A imensa função pública não é imensa, nunca foi. Antes destes anos de memorando já éramos o país da UE-15 com menor percentagem de funcionários públicos na população activa. A valorização do trabalho na função pública é uma alarvidade tão grande que nem merece resposta.