domingo, 16 de novembro de 2014

O mínimo dos mínimos



O Ministro da Administração Interna demitiu-se. "Um Ministro, nesta pasta, não pode ter nunca a sua autoridade diminuída" é a frase a reter da conferência de imprensa convocada para comunicar a decisão ao país. Pelo "nesta pasta". Ao contrário do que disse, em nenhuma democracia minimamente respeitável, nenhum Ministro, de nenhuma pasta, pode ter a sua autoridade diminuída.  Quando assim acontece, gesto natural, aquele que veja a sua credibilidade beliscada demite-se. É o mínimo dos mínimos. A demissão de hoje estranhar-se-á, alguns enaltecê-la-ão como um assomo de suprema dignidade que não é, por nos termos desabituado desse mínimo. Miguel Macedo foi a excepção num Governo em que não há um só Ministro que não tenha a sua credibilidade IMENSAMENTE diminuída.

1 comentário:

fb disse...

O Ministro da Administração Interna demitiu-se. "Um Ministro, nesta pasta, não pode ter nunca a sua autoridade diminuída" é a frase a reter da conferência de imprensa convocada para comunicar a decisão ao país. Pelo "nesta pasta". Ao contrário do que disse, em nenhuma democracia minimamente respeitável, nenhum Ministro, de nenhuma pasta, pode ter a sua autoridade diminuída. Quando assim acontece, gesto natural, aquele que veja a sua credibilidade beliscada demite-se. É o mínimo dos mínimos. A demissão de hoje estranhar-se-á, alguns enaltecê-la-ão como um assomo de suprema dignidade que não é, por nos termos desabituado desse mínimo. Miguel Macedo foi a excepção num Governo em que não há um só Ministro que não tenha a sua credibilidade IMENSAMENTE diminuída.