sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O eterno cócó



Passos Coelho e a gestão do momento. O outro é que é o mau, eu é que sou o bom. Aproveitar a prisão de Sócrates para insinuar a necessidade de voltara tentar criminalizar o enriquecimento ilícito é uma excelente ideia se incluir os vários parágrafos que este camarada saltou, um para cada privatização a preço de amigos que o seu Governo conduziu, outro para cada SWAP, outro para cada negócio em que o Governo pagou a multinacionais para o ajudarem a definir as condições de venda do produto que essas empresas depois apareceram a comprar e outro ainda sobre telhados de vidro da marca Tecnoforma. A nacionalização do amontoado de prejuízos da delinquência banqueira merece um capítulo com muitos parágrafos, por isso deixei para o final a nacionalização do BES, que este senhor diz ter falido por má gestão e não por falhas de supervisão, versão vagamente semelhante à que o seu colega de Évora forneceu sobre a nacionalização do BPN. Eles vão-se plagiando na disputa de fiéis que lhes agradeçam a governação dopaís. O Sócrates é melhor “có” Passos e o Passos é melhor “có” Sócrates. O cocó da alternância. Vamo-lo pagando.

3 comentários:

fb disse...

Passos Coelho e a gestão do momento. O outro é que é o mau, eu é que sou o bom. Aproveitar a prisão de Sócrates para insinuar a necessidade de voltara tentar criminalizar o enriquecimento ilícito é uma excelente ideia se incluir os vários parágrafos que este camarada saltou, um para cada privatização a preço de amigos que o seu Governo conduziu, outro para cada SWAP, outro para cada negócio em que o Governo pagou a multinacionais para o ajudarem a definir as condições de venda do produto que essas empresas depois apareceram a comprar e outro ainda sobre telhados de vidro da marca Tecnoforma. A nacionalização do amontoado de prejuízos da delinquência banqueira merece um capítulo com muitos parágrafos, por isso Deixei para o final a nacionalização do BES, que este senhor diz ter falido por má gestão e não por falhas de supervisão, versão vagamente semelhante à que o seu colega de Évora forneceu sobre a nacionalização do BPN. Eles vão-se plagiando na disputa de fiéis que lhes agradeçam a governação do país. O Sócrates é melhor “có” Passos e o Passos é melhor “có” Sócrates. Cocó. Vamo-lo pagando.

Fonseca disse...

Mais um excelente post! Pela oportunidade e, sobretudo, pelo seu conteúdo. É muito raro não estar de acordo com as suas opiniões que aqui vai deixando e vou lendo assiduamente.
Parabéns pelo seu blogue e pelo verdadeiro serviço público que com ele vai prestando.
Se não se importa vou partilhá-lo no meu mural do facebook.

Filipe Tourais disse...

Obrigado, Fonseca. E partilhe sempre que quiser o que quiser. Quantos mais lerem, tanto melhor.