terça-feira, 11 de novembro de 2014

Maria Luís, a fada fadista


A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou hoje que "a classe média acaba por ser a grande sacrificada" em 2015, uma vez que o Governo procura "proteger quem tem menos" e porque "não há muitos ricos em Portugal". Olha que brincalhona. Disse "acaba por ser" em vez de "volta a ser". Disse que "o Governo procura proteger quem tem menos", com toda a certeza estaria a referir-se a uma protecção contra o excesso de calorias de quem passa fome porque o seu Governo burocratizou o RSI, reduziu protecções sociais no desemprego e aumentou ou permitiu aumentos nos transportes e nas tarifas de electricidade superiores ao do mísero aumento do salário mínimo. E ainda nos convida a termos pena que não haja mais ricos, quando o número de milionários nunca parou de aumentar nos últimos anos. Tributou-lhes o património? Não. Reduziu o IRC às grandes empresas? Sim. Tributou as transferências de capital que os ricos fazem para paraísos fiscais onde pagam ainda menos impostos? Não. E ainda lhes distribuiu uns perdõezitos e benefícios fiscais de milhões que mantém no segredo dos deuses. Os ricos são poucochinhos. Os sacrifícios divididos exclusivamente por tantos pobres e tantos remediados não lhes dói nadinha.

1 comentário:

fb disse...

Olha que brincalhona. Disse "acaba por ser" em vez de "volta a ser". Disse que "o Governo procura proteger quem tem menos", com toda a certeza estaria a referir-se a uma protecção contra o excesso de calorias de quem passa fome porque o seu Governo burocratizou o RSI, reduziu protecções sociais no desemprego e aumentou ou permitiu aumentos nos transportes e nas tarifas de electricidade superiores ao do mísero aumento do salário mínimo. E ainda nos convida a termos pena que não haja mais ricos, quando o número de milionários nunca parou de aumentar nos últimos anos. Tributou-lhes o património? Não. Reduziu o IRC às grandes empresas? Sim. Tributou as transferências de capital que os ricos fazem para paraísos fiscais onde pagam ainda menos impostos? Não. E ainda lhes distribuiu uns perdõezitos e benefícios fiscais de milhões que mantém no segredo dos deuses. Os ricos são poucochinhos. Os sacrifícios divididos exclusivamente por tantos pobres e tantos remediados não lhes dói nadinha.