sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Regulações


A livre circulação de capitais, a supervisão que não supervisiona, o mito da regulação vai sobrevivendo a escândalos sucessivos para fortuna da delinquência financeira e para desgraça de quem a vai pagando. Hoje temos mais um. O Banco Espírito Santo (BES) financiou secretamente a Espírito Santo International (ESI) através do Panamá durante dois anos, noticia o Financial Times citando documentos na sua posse. Consciente ou inconsciente, não sabemos, a negligência de Carlos Costa trabalhou durante anos com – ou será para? – o gang Espírito Santo e juntos produziram mais um buraco de milhares de milhão que todos iremos pagar.  No JN, Isabel Jonet diz que há profissionais da pobreza que fazem da mendicidade um modo de vida. Desta vez, a super visão da Jonet só se enganou em duas palavras. Há profissionais da RIQUEZA que fazem da CRIMINALIDADE um modo de vida. Foi por pouco, ainda não foi desta que acertou uma, mas podem continuar a contribuir. O mundo será sempre como todos nós o quisermos regular.

1 comentário:

Anónimo disse...

A Jonet também é uma profissional da pobreza.
Só se esqueceu de referir que, por cada falso pobre, existem muitos portugueses que foram atirados para a pobreza pelo governo que ela apoia.