quarta-feira, 23 de julho de 2014

CPLP: oficialmente, uma associação de malfeitores


E já está. A Guiné Equatorial, uma das ditaduras mais ferozes e um dos estados mais corruptos de todo o mundo, foi aceite pelo consenso dos seus pares na CPLP. A Comunidade de Países de Ladrões dos seus Povos substitui definitivamente a Comunidade de Países de Língua Portuguesa. Pedro Passos Coelho, que juntou o seu aplauso à aclamação do ditador Teodoro Obiang, justificou-se dizendo que Portugal ficaria isolado caso se opusesse à inclusão na CPLP de um país que nem sequer fala português e onde os direitos humanos são violados todos os dias, por mais que Cavaco Silva divague em sentido contrário. Compreende-se. Por vergonha, qualquer pessoa de bem prefere ficar sozinha a sentar-se à mesa com um bandido. Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho nunca se envergonharam de comer à mesma mesa com José Eduardo dos Santos e a sua filha Isabel. Por medo, qualquer pessoa de mal prefere ficar sozinha a sentar-se à mesa com um bandido de outra quadrilha. Obiang agora já faz parte da família. Finalmente, por conveniência óbvia, qualquer bandido aceita o que quer que seja para evitar afastar-se de uma quadrilha que lhe assegura avultados proveitos. Não é segredo que os angolanos adquiriram o estatuto de donos de Portugal através de negócios e negociatas feitas com biliões roubados ao povo angolano. Sobre o novo estatuto da Guiné Equatorial escreve Ana Gomes: “a moeda de troca foram meia dúzia de contratos de construção, sem quaisquer garantias, assumidos por algumas empresas sob duvidosíssimo patrocínio político. E foi a prometida injecção de capital no BANIF, banco resgatado com dinheiro dos contribuintes. E ainda um possível investimento no BCP, já controlado pela petrolífera estatal angolana. Pergunto-me se ficarão descansados os accionistas, investidores e depositantes destes bancos e empresas, quando passam a depender e a ser identificados como parceiros de um regime notoriamente criminoso e sem escrúpulos, que enfrenta processos judiciais em França e nos Estados Unidos por criminalidade económica e financeira? E as entidades reguladoras, poderão considerar que estes são investimentos saudáveis e isentos de riscos para as instituições bancárias e para a economia portuguesa?”


Foto de quadrilha,: da esquerda para a direita, Primeiro-Ministro de Timor Leste, Xanana Gusmão, Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira, Vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, Primeiro-Ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, Presidente da República de Portugal, Anibal Cavaco Silva, Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, Presidente de Timor-leste, Taur Matan Ruak, secretário-executivo da CPLP, Murade Muragy, Presidente de Moçambique Armando Guebuza, Primeiro Ministro de São Tomé, Pinto da Costa, Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, Presidente da Assembleia Parlamentar da CPLP, Fernando Piedade Dias dos Santos, Vice-Ministro do MNE do Brasil, Paulo Pinto, em Díli, Timor Leste, 23 de Julho de 2014.

Sem comentários: