segunda-feira, 9 de junho de 2014

Mais vale ser CEO e saudável do que CSM e doente


Contas feitas pelo Público, mesmo estimando como valor do salário mensal médio dos trabalhadores das empresas do PSI-20 uns inverosímeis 1626 euros, em média, em2013, os presidentes executivos daquelas empresas auferiam vencimentos 33,6 vezes mais elevados do que um trabalhador, ou, o que é o mesmo, e continuando a usar como referência aqueles 1626 euros, para ganharem o rendimento médio de um ano de um trabalhador, os CEO apenas têm de trabalhar cerca de 10 dias e seis horas. Caso consideremos como referência o valor do salário mínimo, mais razoável por ter triplicado em número de trabalhadores que o recebem nos últimos seis anos, por 3 dias e uma hora de trabalho, em média, cada CEO aufere o mesmo que cada um destes trabalhadores leva para casa trabalhando um ano inteiro. O salário deve ser ajustado à produtividade, sugere o Governo para adiar para as calendas a actualização do salário mínimo nacional. Quem os leve a sério e quem lhes papagueie a versão estará a sugerir que cada CEO do PSI-20 produz em 3 dias o que cada CSM (cidadão salário mínimo) produz num ano inteiro. Andam por aí uns gozões.

4 comentários:

Francisco Trindade disse...

Longe de mim querer entrar em polémica com o Filipe. Esta é a minha declaração de interesses porque como se sabe muito bem a grande maioria das pessoas recebe críticas políticas e sociais como se fossem verdadeiros ataques à sua dignidade e postura...
Quando digo que o Filipe em muitos dos seus textos põe o dedo na ferida aqui está um bom exemplo...mas os textos seguintes também podem ser subscritos por mim .
O problema político do Filipe é que não consegue ver mais além da nossa democracia representativa...
Em termos de analogia, e não me leve a mal por isso, qual é a solução do governo de austeridade em que nos encontramos?
Resposta: Mais austeridade! Mais do mesmo! Para irmos mesmo para o fundo sem remissão!
Qual é a solução para os males da sociedade em democracia representativa?
A resposta do Filipe é: Mais democracia representativa!
Está a ver a ideia?
Porque é que os ricos preferem nos tempos que correm um sistema político de democracia representativa que dominam duma ponta à outra, salvo naturalmente pequenas franjas laterais, do que uma ditadura, quando em meados do século XX a ditadura era tão apetecida quando a democracia representativa?

Pense nisso…
Um abraço!
Francisco Trindade

Filipe Tourais disse...

O que porventura é capaz de nos diferenciar é que eu não tenho nada contra a existência de ricos, tenho apenas contra a existência de pobres e de ricos que enriquecem à custa da pobreza que semeiam. Como sabe, a democracia representativa não obriga à austeridadee o melhor período da História da humanidade, aquele em que os povos mais melhoraram de vida, e melhoraram imenso, foi em democracia representativa.

Francisco Trindade disse...

"tenho apenas contra a existência de pobres e de ricos que enriquecem à custa da pobreza que semeiam."
Filipe: É isto mesmo que está em causa!

Lembre-se do que dizia Balzac: “Por trás de uma grande fortuna está um grande crime.”
Não me diga que você é dos que defende que a fortuna (vou dar só alguns exemplos) dos Belmiros, dos Espírito Santos, dos Amorins, dos Soares dos Santos, dos Mellos, etc, foi construída com muito trabalho e suor e em que os seus detentores trabalhavam 12 e 14 horas de trabalho braçal, como muita gente defende…e é simplesmente indefensável…

Vou dar-lhe argumentos somente a partir do que conhece…

O Filipe que é do Bloco de esquerda ou pelo menos simpatizante e apoiante, conhece certamente o livro que depois se transformou em documentário “Os donos de Portugal”.

E então? Que conclusões é que tira da investigação do Louçã, do Rosas, do Fazenda, do Costa e da Cecília Honório?

Meu amigo: Os donos são basicamente os mesmos, ou seja as mesmas famílias, desde o liberalismo do século XIX, na monarquia, passando pela República, pela ditadura, e pela democracia representativa que você tanto defende: Salvo algumas nuances a merda é a mesma, ou seja, a exploração de muitos por alguns é constante!
Mas isso não é o fundamental?
Mas isso não é o decisivo?

A democracia representativa tem vantagens sobre a ditadura! É inequívoco! A prova é que em ditadura estaríamos os dois presos! Ou estaríamos na clandestinidade, ou então se tivéssemos tempo seríamos exilados políticos. Em democracia representativa não!
Isto é importante? Mas claro que sim! É o fundamental? Não! E digo-o com todas as letras: A democracia para ser plena não basta ser política tem que ser económica!
Em democracia representativa não consegue nunca a segunda! Somente a primeira…

Francisco Trindade

Filipe Tourais disse...

É muito forçado culpar a democracia representativa quer da ignorância e cobardia do nosso povo, quer da incapacidade de mobilização das esquerdas que combatem os enriquecimentos que refere. No limite, e já sei que também não estamos de acordo neste capítulo, o voto obrigatório poderia responsabilizar solidariamente toda a gente pelas suas próprias escolhas e lá estaríamos nós novamente confrontados com as mesmas cobardia, ignorância e incapacidade de mobilização, mas aí seríamos forçados a aceitar a vontade do povo. Lutar contra ela, angariar uma base de apoio através das regras democráticas, mas mais que isso é impor a nossa vontade.