quarta-feira, 21 de maio de 2014

Por falar em reformas estruturais (mesmo necessárias)


Eduardo Catroga (EDP/PSD), 639 mil euros anuais, 45 mil euros mensais, 1500 euros diários (acumula com pensão de 9600 euros mensais). Negociou a privatização da empresa e foi para lá trabalhar depois de privatizada.  

Segundo uma análise comparativa do Eurostat aos preços da electricidade e do gás praticados na União Europeia no segundo semestre de 2013, o custo da energia em Portugal estava entre os mais elevados quando medido através de paridades do poder de compra (ppp), uma medida que leva em conta as diferenças do custo de vida entre os vários países. No caso da electricidade, o gabinete europeu de estatísticas determinou que o custo médio (já com impostos) para um agregado familiar português era de 26,2 euros em ppp para um consumo de 100 kWh, um valor que só era superado pelos 28,1 euros da Alemanha e os 28,2 euros do Chipre. Medido em euros, o valor médio pago pelos consumidores portugueses era de 21,3 euros, acima da média da UE, que era de 20,1 euros. No caso do gás o cenário também era mais penalizador para os consumidores portugueses, de acordo com a análise do Eurostat. Os preços ajustados ao poder de compra situavam a factura média em 11,5 euros por 100 kWh, um valor apenas ultrapassado pelos 11,6 euros praticados na Bulgária.


Vagamente relacionado: A EDP terminou 2013 com um lucro de 1.005 milhões de euros, isto é, 2,76 milhões por dia. Segundo o relatório de Governo da Sociedade, em 2013, António Mexia beneficiou de quase 738 mil euros de remuneração fixa e 250 mil euros de componente variável, num total de quase 1 milhão de euros, cerca de 2700 euros por dia. Globalmente, a comissão executiva da EDP recebeu em 2013 remunerações no valor de 5,03 milhões de euros.

Um pouco mais vagamente ainda: A Galp Energia encerrou 2013 com um lucro de 310 milhões de euros (quase 1 milhão por dia), menos 13,9% do que no ano anterior, embora com prémios de desempenho atribuídos à gestão. O presidente executivo da Galp auferiu, em 2013, de uma remuneração fixa de 1.069.600 euros, a que se somaram 305.600 euros de remuneração variável e 267.400 euros em PPR (Plano de Poupança Reforma), o que totaliza 1.642.600 euros, 4500 euros diários. . O montante anual da remuneração auferida de forma agregada pelos membros dos órgãos de administração da Galp foi de 5.057.277,09 euros, em 2013, sendo 4.250.553,80 euros a título de remuneração fixa e 806.723,29 euros como remuneração variável.

Sem comentários: