quinta-feira, 10 de abril de 2014

Olha a retoma, olha o desemprego a cair


Quase metade dos trabalhadores a tempo parcial em Portugal estava disponível para trabalhar mais horas, sendo por isso classificados como estando numa situação de subemprego. No final de 2013, a taxa de subemprego atingia 45,9% dos trabalhadores em part-time e era a quarta mais alta da União Europeia. Os dados foram divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat, o organismo de estatísticas europeu, e explicam o alardeado recuo da taxa de desemprego no último ano que a propaganda oficial vende como sinais inequívocos de uma retoma que mais ninguém vê. Em causa estão 263 mil trabalhadores que trabalham a meio tempo e que gostariam de ter um emprego com horário completo mas que não conseguem encontrar nenhum. Não há empregos.

1 comentário:

Anónimo disse...

Quase metade dos trabalhadores a tempo parcial em Portugal estava disponível para trabalhar mais horas, sendo por isso classificados como estando numa situação de subemprego. No final de 2013, a taxa de subemprego atingia 45,9 dos trabalhadores em part-time e era a quarta mais alta da União Europeia. Os dados foram divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat, o organismo de estatísticas europeu, e explicam o alardeado recuo da taxa de desemprego no último ano que a propaganda oficial vende como sinais inequívocos de uma retoma que mais ninguém vê. Em causa estão 263 mil trabalhadores que trabalham a meio tempo e que gostariam de ter um emprego com horário completo mas que não conseguem encontrar nenhum.