sexta-feira, 11 de abril de 2014

Estes patriotas




“Posso testemunhar, como poucos, a atenção que o doutor Durão Barroso sempre prestou aos problemas do país e a valiosa contribuição que deu para encontrar soluções, minorar custos, facilitar apoios e abrir oportunidades de desenvolvimento”, disse na tarde desta sexta-feira o Presidente da República na abertura da conferência Portugal: Rumo ao Crescimento e Emprego. Fundos e Programas Europeus: solidariedade ao serviço da economia portuguesa, que está a decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Que bonito. Mas há alguém que conhece Durão Barroso como poucos que diz exactamente o contrário, pelo que, se a lógica ainda é o que era antes desta Primavera da mentira, um dos dois está forçosamente a regar. Phillipe Legrain foi conselheiro do Presidente da Comissão e acusa-o de se ter aliado a Merkel contra países devedores como Portugal. No início desta semana, Legrain  disse ao Financial Times que as instituições europeias escolheram alinhar-se com os credores para imporem a sua agenda aos devedores. "Em vez de se manter à margem, [a Comissão] escolheu estrategicamente alinhar-se com a Alemanha", começou por dizer o antigo conselheiro de Durão Barroso ao jornal britânico, acrescentando que esta posição acabou por acentuar as divisões no euro da União. "A União Europeia está agora dividida entre os credores e os devedores e as instituições europeias tornaram-se num instrumento para os países credores imporem as suas vontades aos países devedores", disse. Que o têm feito e que querem continuar a fazê-lo, ninguém necessita de apontá-lo. Nós sentimo-lo na pele.

Sem comentários: