terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Sabe bem pagar tão pouco



Apesar de, logo em Janeiro, ter deixado de pagar IRC em Portugal depois de ter transferido as suas acções para uma holding homónima com sede na Holanda, a Sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS, empresa através da qual a família Soares dos Santos controla empresas como o Pingo Doce, ,foi a empresa privada que recebeu mais benefícios fiscais relativos ao ano fiscal de 2012, com 79,9 milhões de euros, logo a seguir à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa de Santana Lopes, com 118,2 milhões de euros (*). Coitados dos ricos. Com razão PSD, PS e CDS aprovaram recentemente a redução da taxa de IRC aplicável às grandes empresas no ano em que as receitas de IRS aumentaram mais de 35%. Sabe-lhes bem pagar tão pouco. Vai saber-lhes melhor pagar ainda menos. Porque pagamos nós.

 

(*) No final de Novembro de 2013, o imposto de selo "extraordinário" que desde Janeiro do ano passado passou a tirar 20% sobre o valor líquido dos prémios dos jogos sociais acima dos 5000 euros, já acumulava um encaixe de 45,5 milhões de euros. A Santa Casa recebeu benefícios fiscais de 118,2 milhões (2,6 vezes mais), pelo que o princípio é o mesmo: retirar aos afortunados e multiplicá-lo pelos necessitados. A redistribuição da riqueza é o forte do arco que nos vai governando.

1 comentário:

fb disse...

Apesar de, logo em Janeiro, ter deixado de pagar IRC em Portugal depois de ter transferido as suas acções para uma holding homónima com sede na Holanda, a Sociedade Francisco Manuel dos Santos SGPS, empresa através da qual a família Soares dos Santos controla empresas como o Pingo Doce, ,foi a empresa privada que recebeu mais benefícios fiscais relativos ao ano fiscal de 2012, com 79,9 milhões de euros, logo a seguir à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa de Santana Lopes, com 118,2 milhões de euros (*). Coitados dos ricos. Com razão PSD, PS e CDS aprovaram recentemente a redução da taxa de IRC aplicável às grandes empresas no ano em que as receitas de IRS aumentaram mais de 35%. Sabe-lhes bem pagar tão pouco. Vai saber-lhes melhor pagar ainda menos. Porque pagamos nós.

(*) No final de Novembro de 2013, o imposto de selo "extraordinário" que desde Janeiro do ano passado passou a tirar 20% sobre o valor líquido dos prémios dos jogos sociais acima dos 5000 euros, já acumulava um encaixe de 45,5 milhões de euros. A Santa Casa recebeu benefícios fiscais de 118,2 milhões (2,6 vezes mais), isto é, , pelo que o princípio é o mesmo: retirar aos afortunados e multiplicá-lo pelos necessitados. A redistribuição da riqueza é o forte de quem nos vai governando.