quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Até sempre, Madiba


O resistente, o guerreiro, o libertador, o conciliador, o estadista, o democrata, uma alma enorme, uma força incrível, uma referência em tudo o que fez em vida. Todos os adjectivos que aqui lhe dispensasse seriam poucos para dele me despedir. Talvez seja um bocado tonto, pouco importa. Apenas acrescentarei que será do seu exemplo de abnegação que sempre me lembrarei quando ouvir falar em Prémio Nobel da Paz. Nelson Mandela é insubstituível. Deixou-nos hoje. Até sempre, Madiba.

1 comentário:

Gi disse...

Eu também acho (já acho há anos) que é ele a medida de todos os prémios Nobel da paz.