domingo, 20 de outubro de 2013

Entre compreender e apoiar


O líder do Partido Socialista disse ontem em Torres Vedras que compreende a manifestação da CGTP, onde fez questão de não comparecer: "é um direito. Compreendo as razões para os portugueses expressarem a sua indignação perante tantas medidas de austeridade". António José seguro "compreende" e sente necessidade de justificar a sua compreensão no direito de manifestação consagrado na Constituição. Por isso "compreende". E de compreender a apoiar vai uma distância pelo menos igual à que vai da Ponte 25 de Abril a Torres Vedras. Sobre o OE 2014, nem uma crítica. Quase uma semana depois, António José Seguro continua a não arriscar qualquer julgamento político que possa comprometê-lo no futuro. A Grécia começa a viver o inferno do terceiro resgate. Portugal caminha para o do segundo.

Vagamente relacionado: O Ministério Público anunciou nesta segunda-feira que arquivou o inquérito aberto na sequência de uma participação do Partido Socialista que, em Julho passado, denunciou ter “fundadas dúvidas sobre a possibilidade de intercepção ilegal das suas comunicações telefónicas, internet e/ou outros meios tecnológicos”. Como produtor de conteúdos de entretenimento, não há pai para este PS.

Sem comentários: