segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Eles são os soldadinhos da vergonha


Foram duas as vezes que o Movimento Que Se Lixe a Troika tentou convocar a comunicação social para apresentar publicamente o protesto que decorrerá no próximo Sábado em várias cidades, um pouco por todo o país. Em vão. A comunicação social boicotou (1) e não compareceu. À terceira, porém, foi de vez. O movimento simulou uma manifestação de apoio e agradecimento à troika por toda a ajuda que tem prestado a Portugal e aos portugueses. E a comunicação social compareceu, desta vez em peso e com todo o aparato. Para mostrar quem serve. Para mostrar de que lado está. Para confirmar a sua relação umbilical com os poderes que a usam a seu bel-prazer para capturar o que resta desta democracia. Têm-na nas mãos posta por um exército de colaboracionistas que tem o poder de comandar as percepções. O que não é notícia é como se não acontecesse. Os soldadinhos da vergonha. Eles decidem o que acontece. E o que não é para se saber. 


(1) Sobre a forma como se processou este boicote, corrijo a informação republicando abaixo os comentários que duas pessoas ligadas à organização tiveram a amabilidade de deixar no meu facebook:

Rita Veloso: "Aliás, e precisando, a comunicação social também apareceu nas duas tentativas anteriores. Mas depois a informação da manif não saiu. As notícias referiam apenas protestos pontuais e não a conferência de imprensa associada ao protesto ou a manif que o motivava."

Cristina Paixão: "Por outro lado, completando a intervenção da Rita, já o anúncio desta "falsa" manifestação apareceu (foi publicado/ noticiado) em todos os orgãos da comunicação social. Rádios incluídas. E com o mínimo esforço dos "organizadores"."

1 comentário:

Eduardo Cunha disse...

Hahaha! sublime, os zombies da comunicação vão começar a perceber a sua condição!