quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Já percebeste, Pedrinho?


Em comunicado publicado no seu site, o Tribunal Constitucional considera que a limitação de mandatos é apenas territorial e não respeita à função. "O limite em causa é territorial, impedindo a eleição do mesmo candidato para um quarto mandato consecutivo na mesma autarquia", decidiram os juízes. Desta vez, temos que juntar a nossa voz às do Governo e constatar que  o Tribunal Constitucional contribuiu para a insolvência da Nação. Porém, desta vez, a insolvência é laranja. Luís Filipe Menezes, o tal candidato que, usando as palavras do seu camarada de partido  e vice da Câmara do Porto, não conhece limites para o despudor, a mentira e a falta de vergonha e deixou as contas da Câmara de Gaia num descalabro acaba de ver luz verde para a sua candidatura. De onde se retira que, quer viabilizem as pretensões do PSD, quer as inviabilizem, as decisões do Tribunal Constitucional nada têm que ver com contas públicas e sim com aquele livrinho que Pedro Passos Coelho ainda não leu. E a Constituição está-se nas próprias tintas para a sua ignorância.
 

1 comentário:

Anónimo disse...

Em comunicado publicado no seu site, o Tribunal Constitucional considera que a limitação de mandatos é apenas territorial e não respeita à função. "O limite em causa é territorial, impedindo a eleição do mesmo candidato para um quarto mandato consecutivo na mesma autarquia", decidiram os juízes. Desta vez, temos que juntar-nos ao Governo e constatar que o Tribunal Constitucional contribuiu para a insolvência da Nação. Porém, desta vez, a insolvência é laranja. Luís Filipe Menezes, o tal candidato que, usando as palavras do seu camarada de partido e vice da Câmara do Porto, não conhece limites para o despudor, a mentira e a falta de vergonha e deixou as contas da Câmara de Gaia num descalabro acaba de ver luz verde para a sua candidatura. De onde se retira que, quer viabilizem as pretensões do PSD, quer as inviabilizem, as decisões do Tribunal Constitucional nada têm que ver com contas públicas e sim com aquele livrinho que Pedro Passos Coelho ainda não leu. E a Constituição está-se nas próprias tintas para a sua ignorância.