sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Tem lógica


O Ministério da Educação e Ciência voltou ontem a garantir que, apesar de o programa de Matemática para o ensino básico ter sido revogado e substituído por outro e de a aplicação das metas se ter tornado obrigatória a Português, os anteriores manuais escolares, feitos para os programas que já não existem, continuam em vigor. Tem lógica. Nuno Crato vê a Educação numa lógica de negócio. Paga o utente e o contribuinte, enriquecem o seu amigo livreiro e os seus camaradas proprietários de colégios privados. E que se lixem os alunos. Os mais pobres, evidentemente, os das escolas para pobres, os das escolas que nos enriqueciam enquanto sociedade mas não  proporcionavam lucros a ninguém.. Simples.

Vagamente relacionado: “Faço notar que não há falta de dinheiro na Europa. Pelo contrário, há enormes excedentes que explicam, aliás, como consegue a Alemanha financiar-se a juros negativos. O que há na Europa, em toda a Europa, é a vitória de uma agenda ideológica e dos interesses financeiros que se apoderaram dos principais centros de poder e que sonham com a privatização de todas as funções sociais do Estado. Não espanta que essa vitória venha pela mão de governos social-democratas. (…)» – Daniel Oliveira in “Declarada a morte da social-democracia”.

Ainda mais vagamente: O dirigente da Confederação Nacional Independente de Associações de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), Rui Martins, denunciou esta sexta-feira “a situação gravíssima de crianças com multideficiências que estão a ser privadas de frequentar as respectivas escolas, por falta de funcionários operacionais e de docentes do Ensino Especial”. Assim gere Crato a sua mercearia.

Sem comentários: