segunda-feira, 9 de setembro de 2013

O momento zen do dia


Deve ser uma inovação comunicacional. "As actuais pensões de sobrevivência inferiores a 419 euros não serão abrangidas pelo corte de 10% que o Governo se prepara para aplicar às pensões da função pública a partir do próximo ano" em vez de "até aos 75 anos, todas as pensões de reforma acima dos 600 euros e todas as pensões de sobrevivência acima dos 419,22 euros serão cortadas em 10%. A reprodução do termo ""nova versão do diploma que faz a convergência entre o regime da Caixa Geral de Aposentações e o da Segurança Social", quando a "convergência" se trata de um corte generalizado,ilustra bem o apoio a mais este roubo prestado por uma espécie de jornalismo que desinforma para mostrar de que lado está. O texto que o Governo terá distribuído à imprensa, e que esta reproduziu tal e qual o recebeu, sugere que cortes acima dos 419,22 euros têm uma constitucionalidade que cortes acima dos 300 não têm:"na versão inicial, apenas ficavam a salvo do corte as pensões de sobrevivência inferiores a 300 euros, mas perante as críticas dos sindicatos e os eventuais riscos de inconstitucionalidade, o Governo reconsiderou e decidiu alargar o limiar para o valor do Indexante dos Apoios Sociais." Bravo! Realmente, estes ladrões são uns palhaços. Comprovadamente, estes palhaços são uns ladrões.