sábado, 10 de agosto de 2013

Para quem gosta tanto de falar sobre o mar, isto também é mar


O carapau da Costa está a sair da lota a 25 cêntimos o Kg, em média, e a ser vendido nos mercados e nas grandes superfícies a preços que variam entre os 6 e os 7 euros. Uma caixa com 10 kg, por exemplo, sai de lota a 2,5 euros e é vendida ao consumidor final a 70 euros. Esta baixa abrupta dos preços de venda em lota está a deixar armadores e pescadores à beira do desespero. A situação ocorre praticamente desde o início do Verão, época do ano em que o carapau tem muita procura, nas lotas da Fonte da Telha e da Costa de Caparica.

Contas feitas, os negociantes de peixe estão a conseguir margens de lucro na ordem dos 2.800 por cento e os pescadores encontram-se perante uma situação “insustentável”, conforme apurou o Caparica News. Célia Figueiredo, da Associação de Pescadores e Moradores da Fonte da Telha, adiantou que os intermediários, em lota, esperam que o preço desça a níveis muito baixos para rematarem os lotes. Esta semana, na lota da Fonte da Telha, a Brigada Fiscal da GNR terá sido chamada a intervir - para quem trabalha a nossa polícia? - porque um armador pretendia retirar de lota o carapau capturado, tendo em conta o baixo preço do remate, explicou a mesma responsável.

Como forma de protesto, os pescadores de arte xávega da Fonte da Telha encontram-se em paralisação total e desde então não têm ido ao mar, situação que pretendem prolongar até à próxima segunda-feira.

Contactado pelo Caparica News, um armador de xávega da Costa de Caparica confirmou que a situação é idêntica na lota da cidade e sublinhou que “a esses preços não vale a pena” entrar com o peixe em lota. Na Fonte da Telha, a situação dos pescadores encontra-se agravada pelo facto de os espanhóis terem deixado de garantir a compra total da cavala, que é levada para o país vizinho para alimentar atuns.
Recorde-se que, no mês passado, um pescador de xávega abandonou nas praias do Sul da Costa de Caparica, toneladas de peixe, porque não pretendia entrar com o pescado em lota, tendo em conta os preços praticados.

3 comentários:

fb disse...

Contas feitas, os negociantes de peixe estão a conseguir margens de lucro na ordem dos 2.800 por cento e os pescadores encontram-se perante uma situação “insustentável”, conforme apurou o Caparica News.Célia Figueiredo, da Associação de Pescadores e Moradores da Fonte da Telha, adiantou que os intermediários, em lota, esperam que o preço desça a níveis muito baixos para rematarem os lotes. Esta semana, na lota da Fonte da Telha, a Brigada Fiscal da GNR terá sido chamada a intervir - para quem trabalha a nossa polícia? - porque um armador pretendia retirar de lota o carapau capturado, tendo em conta o baixo preço do remate, explicou a mesma responsável.

Maquiavel disse...

Os armadores e pescadores que deixem de ser parvos, unam-se em cooperativas (que horror, coisa de comuinistas!) ou sociedades em comandita, e negoceiem o preço centralmente.
Enquanto for o Zé da Esquina a vender individualmente ao Grupo do Belmiro, pois claro que passará fome.
Näo achindraram ainda? Entäo teräo o que merecem!

Filipe Tourais disse...

Concordo. Se bem que Belimiros e outros que tais detêm um oligopsónio e não seria assim tão fácil. Mas de acordo, se se organizarem melhor, os problemas como este diminuiriam.