segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Já começou


É uma excelente  notícia para aquela tipologia de empresários bem relacionados com o poder e especializados em enriquecer à sombra do Estado e à custa da precariedade dos “colaboradores”, assim gostam de referir-se aos seus funcionários. “Há serviços que, desde o início do mês, estão a enviar cartas aos trabalhadores com propostas de rescisão, mostrando os valores a receber em caso de cessação de contrato com o Estado”, revelou à Lusa o dirigente da Frente Sindical da Administração Pública (Fesap), José Abraão. Para efeitos de compensação serão oferecidos 1,5 meses de remuneração por ano de trabalho a quem tenha até 50 anos de idade. Entre os 50 e os 54 anos serão oferecidos 1,25 meses por ano e, entre os 55 e os 59 anos o Governo propõe pagar um mês de remuneração por cada ano de trabalho. O Governo que não investiu um cêntimo na criação de empregos vai gastar milhões a fabricar desemprego. Paga o contribuinte. “Ajustamento”, ou lá como lhe chamam.

Sem comentários: