quarta-feira, 3 de julho de 2013

Uma excelente notícia


A meio da tarde, terminava o ultimato de 48 horas que os militares tinham dado a ao Presidente egípcio para ouvir o povo nas ruas e aceitar mudar o rumo da governação no Egipto. Ao início da noite, a população já celebrava  nas ruas do Cairo com música e foguetes a deposição do fundamentalista Mohamed Morsi. Os militares cumpriram com o compromisso do texto do ultimato de não tomarem o poder, pelo que não estamos perante nenhum golpe de Estado e sim de uma libertação de um país refém de um tirano que se aventurou a usurpar um poder que recebeu através do voto popular para transformar o Egipto numa teocracia ao pior estilo, à revelia do povo que o elegeu. A Constituição de cariz islamista fica suspensa,  serão marcadas eleições presidenciais antecipadas e a chefia do Estado ficará temporariamente confiada ao presidente do Tribunal Constitucional. Às vezes, tem que ser o exército a pôrtudo na ordem quando o poder cai nas mãos de fundamentalistas que põem tudo em desordem para dar largas aos seus fanatismos. Suspender o memorando, convocar eleições antecipadas e, até que se realizem, confiar o poder a um Governo de gestão composto por pessoas de inquestionável confiança não seria uma solução nada pior do que manter um Governo de loucos e um Presidente transtornado que se recusam a ouvir o pove de um certo país que todos conhecemos bem. Confesso que fiquei com uma certa inveja quando tive conhecimento desta excelente notícia.

Sem comentários: