segunda-feira, 1 de julho de 2013

O rastilho


Para quem andou para aí a dizer que as greves não servem para nada, na Segunda-feira seguinte à enorme greve geral da última semana, apenas quatro dias depois, o Ministro das Finanças caiu. E para quem ainda resiste à ideia de que somos governados por uma quadrilha de malfeitores, Maria Luísa Albuquerque, a artista dos swaps que ainda hoje mentiu descaradamente no Parlamento, é a nova Ministra das Finanças.

Em princípio, caindo o corsário que andou dois anos a gozar com o seu povo e a destruir o seu país até onde o deixaram,cairia também o Governo que, calamidade após calamidade, sempre deu a todos os caprichos do seu sábio Gaspar tratamento de mandamento divino. Pedro Passos Coelho optou por não o fazer e afrontar novamente os portugueses colocando uma pasta tão importante como a das finanças nas mãos de uma pirata de segunda categoria. A ver se é desta que o timoneiro-múmia de Belém acorda do seu torpor. Isto pode dar para o torto, ai pode, pode. Portugal pode transformar-se rapidamente num barril de pólvora. O rastilho já está aceso. 

1 comentário:

Anónimo disse...

A seu tempo, e à semelhança do ministro, o governo será substituído por outro que desempenhará exactamente o mesmo papel que este. Mas o povo rejubila, agora com a queda do ministro, mais tarde com a queda do governo. É preciso ir mudando alguma coisa para tudo se manter na mesma. Enquanto houver sangue o povo alimenta-se dele, tal como na fase decadente do império romano os espectáculos de gladiadores e o sangue eram usados para entreter e sossegar o povo revoltado. A simulação da democracia continua. Em breve haverá mais um espectáculo de eleições e cabeças a rolarem. O bilhete é grátis.