sexta-feira, 28 de junho de 2013

Não foi ninguém outra vez

Em 17 de Julho de 2009, seis doentes ficaram parcial ou totalmente cegos, no Hospital de Santa Maria, depois de lhes terem sido administradas injecções intra-oculares, supostamente com o medicamento Avastin. Os dois únicos arguidos acusados no processo, a sua chefia directa foi apenas testemunha de acusação, foram absolvidos nesta sexta-feira no Campus da Justiça, em Lisboa, onde o julgamento decorria há mais de um ano, diz o colectivo de juízes por não ser possível determinar a causa da cegueira dos doentes. Voltou a não ser ninguém. A Justiça portuguesa é uma completa anedota em casos com um grau de complexidade apenas um pouco acima do mínimo dos mínimos. Portugal é um país perigoso
.
Vagamente relacionado: Tribunal Cível declara-se incompetente para avaliar caso Seara. Caso remetido para o Tribunal Constitucional. Autarca fala de vitória. No mesmo dia, o Tribunal Constitucional rejeitou sumariamente o recurso de Luís Filipe Menezes, decisão que suspende a suspensão decidida por um juiz que havia sentenciado a suspensão da sua própria decisão de impedir a candidatura.

Sem comentários: