quinta-feira, 6 de junho de 2013

Na hora do investimento

O custo do financiamento bancário para as empresas portuguesas continua sem dar sinais de alívio. Pelo contrário, a taxa de juro média cobrada nos novos empréstimos voltou a aumentar em Abril, apesar da descida dos indexantes no mês anterior, de acordo com os dados ontem publicados pelo Banco Central Europeu (BCE). Os bancos continuam a aumentar os spreads que cobram aos seus clientes, embora a Euribor a três meses tenha descido 1,7 pontos base em Março. Este é o momento do investimento. Repito, este é o momento da retoma do investimento. O regresso de Portugal aos mercados é uma enorme vitória que premeia todos os sacrifícios dos portugueses cumpridores, honrados e trabalhadores.

Vagamente relacionado: de acordo com o INE, a redução homóloga mais acentuada do PIB em Portugal foi determinada pelo comportamento da procura interna, em especial do investimento. A procura interna registou uma variação negativa de 6,3% em termos homólogos, traduzindo-se numa redução mais acentuada que a verificada no trimestre anterior (-4,5%). Para este resultado contribuiu principalmente a redução do volume de investimento, que passou de uma queda homóloga de 2,1% no final de 2012 para um recuo de 16,8% no primeiro trimestre de 2013.

Sem comentários: