domingo, 19 de maio de 2013

Uma enorme proeza


Ao intervalo (1), o Benfica está a perder em casa com o Moreirense. É jogo. Também ao intervalo, o FC Porto está a ganhar ao Paços de Ferreira. É árbitro. O golo foi marcado na sequência de uma grande penalidade inexistente, uma falta que não existiu num lance ainda por cima fora da área que valeu a expulsão do jogador que não a fez. O FC Porto alcançou a vantagem que necessitava para garantir o campeonato e ficou com o seu opositor garantidamente neutralizado. Isto é um postal do que foi este campeonato.

Para o Benfica, o campeonato já estava perdido desde o empate em casa com o Estoril. Para além disso, as estatísticas valem o que valem, mas em todos os campeonatos que houve até agora, apenas por uma vez a equipa que chegou à última jornada no primeiro lugar acabou por perdê-lo nessa ronda derradeira.

Atalhando, O que eu quero realçar é apenas isto. com uma honrosa excepção, apontada à 27ª jornada numa partida que já vencia por 0-3 (2), o FC Porto, o campeão deste ano, será a única equipa em toda a Europa em muitos anos de futebol a conseguir terminar o seu campeonato sem uma única grande penalidade assinalada contra si. E isto não é mau perder. É um facto. É uma enorme proeza do FC Porto e uma proeza ainda maior da arbitragem portuguesa. Os árbitros às vezes enganam-se. São humanos, é natural, os seus erros fazem parte do futebol. Mas convenhamos: trinta jogos a fio sem assinalarem uma única grande penalidade contra o FC Porto já não é nada natural e a coincidência que se constata nada tem que ver com o acaso. Quando muito, será uma coincidência de esforços para ferir a verdade desportiva. Que resultou em pleno. Mais uma vez.


Actualização (1): entretanto, na segunda parte, o FC Porto voltou a marcar e o Benfica deu a volta ao marcador. O FC Porto sagrou-se campeão com apenas um ponto de vantagem sobre o Benfica. Se a longa série de grandes penalidades perdoadas ao FC Porto tivesse sido interrompida uma única vez, o campeão seria outro.

Actualização (2): agradeço aos comentadores que me chamaram à atenção para o facto de ter sido assinalado um penalty contra o FC Porto no jogo contra o Nacional da Madeira. Não me encontrava em Portugal no fim-de-semana em que esse jogo aconteceu, pelo que peço desculpa pela ignorância. De qualquer forma, reposta a verdade, não será por esse penalty, marcado quando o FCP já ganhava por 3-0, que retiro mais do que as três jornadas correspondentes ao que escrevi acima. Entendo que o sentido do texto não se desvirtuou, pelo que mantenho o que disse. 

16 comentários:

fb disse...

Ao intervalo, o Benfica está a perder em casa com o Moreirense. É jogo. Ao intervalo, o FC Porto está a ganhar ao Paços de Ferreira. É árbitro. O golo foi marcado na sequência de uma grande penalidade inexistente, uma falta que não existiu num lance ainda por cima fora da área que valeu a expulsão do jogador que não a fez. O FC Porto alcançou a vantagem que necessitava para garantir o campeonato e ficou com o seu opositor garantidamente neutralizado. Isto é um postal do que foi este campeonato.
Para o Benfica, o campeonato já estava perdido desde o empate em casa com o Estoril. Para além disso, as estatísticas valem o que valem, mas em todos os campeonatos que houve até agora, apenas por uma vez a equipa que chegou à última jornada no primeiro lugar acabou por perdê-lo nessa ronda derradeira.
Atalhando, O que eu quero realçar é apenas isto. o FC Porto, o campeão deste ano, será porventura a única equipa em toda a Europa em muitos anos de futebol a conseguir terminar o seu campeonato sem uma única grande penalidade assinalada contra si. E isto não é mau perder. É um facto. É uma enorme proeza do FC Porto e uma proeza ainda maior da arbitragem portuguesa. Os árbitros às vezes enganam-se. São humanos, é natural, os seus erros fazem parte do futebol. Mas convenhamos: trinta jogos a fio sem assinalarem uma única grande penalidade contra o FC Porto já não é nada natural e a coincidência que nada tem que ver com o acaso. Quando muito, será uma coincidência de esforços para ferir a verdade desportiva que resultou em pleno. Mais uma vez.

Anónimo disse...

Tenho pena que não queira ver as coisas como elas são! O Benfica também foi beneficiado pelas arbitragens ao longo do campeonato!

Anónimo disse...

Ignorância ou má-fé: o Porto teve sim, um penalty assinalado contra, no jogo com o Nacional - eu aposto na má-fé. O Porto não tem culpa de não terem vencido o Estoril.

Filipe Sousa disse...

Nacional x Porto: penalty assinalado contra o Porto, por mão de Mangala. Mentir é tão feio, mesmo que seja para "montar" um post arrasador.

Filipe Tourais disse...

Pois acabo de confirmá-lo e garanto-lhes que estava de boa fé. Estava no Brasil quando isso aconteceu. De qualquer maneira, 1 penalty não retira o sentido ao post.

Filipe Sousa disse...

Não? Eu diria que vencer um campeonato só com um penalty contra, não é nenhuma proeza; proeza é vencer um cmapeonato com 16 penalties a favor - mas como não foi o Porto, não tem mal nenhum. É como diz o outro: vencessem o Estoril; tiveram o pássaro na mão, e deixaram-no fugir - ninguém o roubou.

Anónimo disse...

se a clubite não ferisse a visão, poderia demonstrar melhor perder e aproveitar para falar das capelinhas e outras aparições que existiram no seu clube...aprendam é a jogar futebol e a não serem tão pequeninos...se vocês até foram fortes este ano, mais forte foi ainda o Porto como se viu na passada semana, limpinho limpinho. deixo-lhe um abraço reconfortante, parece-me que bem precisará.

Anónimo disse...

desculpe mas parece-me que os penaltys são para se marcarem quando existem e não porque lhe parecem ou apetecem, ou estarei errado???

Filipe Tourais disse...

Mas o Benfica jogou bom futebol. Perdeu com o FCP, que ganhou muito bem esse jogo, e teve mais do que um penalty marcado contra si num jogo em que já ganhavam por 3-0. A diferença está aqui. Houve penalties perdoados ao Benfica? Houve. Em lado nenhum disse que fico contente com isso.

Anónimo disse...

Boas noites,quantos jogos o benfica ganhou com penalties???Ja agora digam-me tmb quantos ganhou depois dos 90m...nem por isso souberam abrir os olhos e aprender que tmb podiam perder depois dos noventa...rsrsrsr

Anónimo disse...

O erro de Jesus: Tentar ganhar campeonatos em Portugal é tarefa quase impossível, provou-se isso hoje. Num jogo em que estava em causa um campeonato, um árbitro decide marcar um penálti que só existiu na sua imaginação e transforma um cartão amarelo a um jogador que atacava num cartão vermelho a um jogador que defendia. E faz logo ali a festa que só a verdade, o empenho e, porventura, o acaso deveriam fazer. Jesus deve assumir as competições europeias como prioridade para o Benfica, as competições caseiras já estão entregues...

joaquim disse...

Penalty parece de facto que não houve, apenas e SÓ porque foi fora da área; porque falta foi sim, veja bem.
Quanto a expulsão, não tem de haver penalty para expulsão,ou tem?
Jogador completamente isolado, frente à baliza, faz falta: cartão vermelho ...limpinho. Penalty, aí estou de acordo, não foi.

Jorge Abreu disse...

O Benfica que jogue melhor futebol. Essa é realmente engraçada. Por que diabo então o Benfica quer manter o seu treinador e é o Porto que quer pôr o seu a andar? Pois é, amiguinhos. Há qualquer coisa no que dizem que não bate lá muito certo.

Anónimo disse...

Disparate.

Então e se não ficou nenhum penalty por marcar porque ... não houve penaltys?? é que se os penaltys que ficaram por marcar são opinião sua ou da direcção do SLB, então é mais que subjectivo.

Esta estatística não faz sentido absolutamente nenhum.

Anónimo disse...

O benfica não é moralmente superior, porque tenta ganhar da mesma maneira. É um clube igualmente corrupto, a diferença é que não basta ser corrupto para ganhar. É preciso ser competente, coisa que o benfica não é. Entre ladrões tem mérito o que rouba melhor. Os benfiquistas roem-se de inveja mas se a sua direcção corrupta fosse mais eficiente que a do porto rejubivalam de alegria.

Anónimo disse...

Capela porque é que não foste arbitrar a Paços ontem!