quinta-feira, 11 de abril de 2013

Tenham vergonha


No final de Março, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) informou os inspectores que os serviços prestados pelas empresas de limpeza cessavam e que não havia autorização para os renovar. A partir de então, segundo denunciou uma representante sindical, o número reduzidíssimo de inspectores das condições de trabalho, que há vários Governos é mantido na casa da meia centena para todo o país, deliberadamente para criar condições para a generalização de todo o tipo de abusos e de atropelos a uma legislação laboral à qual também  vêm amputando os direitos, começou a ser pressionado para eles próprios limparem as casas de banho e os locais de atendimento ao público.

A notícia conduz-nos a uma outra, que exemplifica bem toda a competência do actual Governo na implementação de uma reconfiguração social com contornos de vergonha bastante bem definidos. Falo-vos da criação da plataforma “Ganhem Vergonha”, criada para denunciar “empregadores sem vergonha” e aberta à participação de todos, onde se vão amontoando os relatos de casos de trabalhos mascarados de estágios pedindo altas qualificações a troco de salário zero, pagos abaixo do salário mínimo ou escandalosamente mal pagos para as qualificações exigidas por toda uma classe de grandes empreendedores sem qualquer tipo de escrúpulos, que cresce a coberto da acção combinada da fartura de desempregados produzida pelas políticas do actual Governo, dos seus esforços para chegarmos a uma situação em que 3 em cada 4 desempregados não têm qualquer tipo de protecção social no desemprego e da fiscalização que, se o número reduzido de inspectores referido no parágrafo anterior já não tinha capacidade para realizar, muito menos o conseguirá se, na vez de estar a fazer o seu trabalho, estiver de vassoura em punho a limpar a casa de banho.

Podem aceder à plataforma "tenham vergonha" clicando aqui. Os links para as suas actualizações passam a estar disponíveis também na coluna da direita deste espaço.

Sem comentários: