sexta-feira, 12 de abril de 2013

Sobre a banca dos nossos sacrifícios


O Sporting chegou esta quinta-feira a acordo com os parceiros financeiros para ser libertada uma receita de quatro milhões de euros relativa a transmissões televisivas, que tinha sido dada como garantia de um adiantamento à anterior direcção, e que irá permitir regularizar os salários em atraso dos meses de Fevereiro e Março. O acordo poderá estar relacionado com a ultrapassagem do diferendo que foi noticiado durante a tarde de ontem: a banca opôs-se à realização da auditoria às gestões anteriores do Sporting, que Bruno de Carvalho havia prometido em campanha. Ou recuou um, ou recuou o outro. Embora não seja sportinguista, espero que tenha recuado a banca. Esta banca que andamos a sustentar é toda ela uma caixinha de surpresas  que tudo faz para se pôr a salvo de qualquer surpresa. O que é que haverá de tão sujo nas contas do Sporting que faz a banca espernear violentamente ao ouvir falar em auditoria? O que lhes vale é que, como é sabido,  a nossa Justiça não gosta nadinha de ler jornais.

2 comentários:

Ze Muacho disse...

Pergunta o Amigo:

O que é que haverá de tão sujo nas contas do Sporting que faz a banca estrebuchar violentamente ao ouvir falar em auditoria?

Provavelmente as mesmas coisas que iriamos encontrar se a prometida, mas não realizada, auditoria às contas do Estado tivesse sido feita.

Filipe Tourais disse...

Ora aí está. Era precisamente aí que eu queria chegar.