quinta-feira, 11 de abril de 2013

Pequena história de uma grande pilhagem

Carlos Moedas: “as reformas estruturais que Portugal está a implementar "são a base para o crescimento e para as gerações futuras do país”.
Mas que gerações futuras do país?
Moody’s: "o Estado pode ter de injectar mais dinheiro nos bancos".

Resumindo: Era uma vez um memorando que “tinha que ser” porque havia de pagar salários. No dia em que o Governo que o implementou se viu obrigado a devolver os salários que roubou por causa desse memorando – sim, era um memorando para pagar salários e roubaram salários–, puf! Um puf! Que chegou mesmo a calhar para novo resgate, nova pilhagem e nova injecção de milhões na banca.
Mais um pequeno detalhe: o memorando que era para pagar salários proibia expressamente que os milhões do empréstimo sua contrapartida fossem utilizados para pagar salários.

Sem comentários: