quinta-feira, 18 de abril de 2013

Cleptocaridade: a custo zero, graças a Deus

O Papa Francisco decidiu não dar qualquer prémio aos quatro mil funcionários do Vaticano, como acontece habitualmente sempre que é escolhido um novo Papa, e decidiu doar esse dinheiro a uma instituição de caridade, respeitando outra tradição muito católica: fazer caridade com o dinheiro dos outros. Não custa nada, no sentido mais lato da expressão. Assim, Francisco limitou-se a ser apenas um pouquinho mais radical do que o habitual e, em vez de pedir donativos, rapinou-os, o que, para inveja de muitos Gaspares, no caso de Francisco até nem é pecado, uma vez que é santo e trata por tu o altíssimo. É sempre vantajoso manter uma boa relação com a chefia mais directa: Graças a Deus que no Vaticano não há Tribunal Constitucional.

Sem comentários: