quarta-feira, 20 de março de 2013

Venha a nós o vosso reino

Ontem, a exposição à vergonha daquela parcela de deputados do nosso Parlamento que não tem servido para mais nada senão para ajoelhar-se diante da Alemanha e da troika. Hoje, a exposição à mesma vergonha de uma instituição que prescreve a mesma posição para a salvação das almas mas que tem feito muito menos do que está ao seu alcance para transformar em actos uma ajuda que vai ostentando sobretudo em palavras: a ICAR. O líder da poderosa Igreja ortodoxa de Chipre, arcebispo Chrysostomos II, ofereceu-se esta quarta-feira para ajudar a retirar o país da crise financeira colocando os bens da Igreja à disposição do Governo do seu país. Tal como a Igreja Católica em Portugal, a Igreja Ortodoxa cipriota é a maior proprietária imobiliária do país. A Igreja Católica Portuguesa, que está completamente isenta de impostos, poderia perfeitamente oferecer-se para, ao menos,  pagar impostos como todas as pessoas e todas as empresas cujo património e receitas são muito inferiores aos seus, aliviando-as do fardo de terem que pagar a parcela que um anacronismo legislativo num Estado laico a isenta de pagar. Fica a sugestão, da autoria de uma congénere sua, que mostra como se faz.

Sem comentários: