quarta-feira, 27 de março de 2013

Uma nulidade "aníbal" presidencial

Em mais uma declaração que não acrescenta um cêntimo à economia e não cria emprego, o Presidente da República criticou esta quarta-feira a "retórica inflamada e sem conteúdo, as intrigas e jogadas político-partidárias que não acrescentam um cêntimo à produção nacional e não criam emprego", recusando-se depois a concretizar quais os alvos da sua crítica. Aníbal Cavaco Silva voltou a abrir a boca para não dizer nada. Quereria apenas mostrar-se melhor do que os outros ou planeou criar mais um tabu? Que importa. Já ninguém lhe faz caso. Temos uma nulidade "aníbal" presidencial.

(editado)

Sem comentários: