terça-feira, 5 de março de 2013

Uma anedota chamada Gaspar

Em declarações prestadas no final do encontro do Ecofin desta terça-feira, o ministro das Finanças disse que a possível extensão de 15 anos “antecipada” na véspera pelo ministro das Finanças irlandês é “inconcebível” e que se trata apenas de “uma posição negocial e não uma previsão do que será o resultado dessa negociação”. Já que não sabe negociar, Vítor Gaspar podia bem ficar caladinho e não estragar o trabalho do seu colega irlandês. Mas não. Nem com Grândolas Vítor Gaspar acordou do seu torpor e descobriu que representa os portugueses e não a troika que está a sugar o seu povo até ao tutano. Falta-nos Presidente da República, falta-nos Primeiro-ministro e falta-nos Ministro das Finanças. Apenas por mera casualidade é que este período da nossa História poderia não ser a calamidade que está a ser.

1 comentário:

Anónimo disse...

Um Quisling entre muitos.