sexta-feira, 29 de março de 2013

Sentido de Estado, versão não ajoelhada


Reagindo a comparações com Chipre (os balanços dos bancos do Luxemburgo são  23 vezes o valor do seu PIB, contra 7 no Chipre), o ministro dos Negócios Estrangeiros luxemburguês afirmou que “a Alemanha não tem o direito de decidir sobre o modelo económico de outros países da União Europeia”. Pedro Passos Coelho, Paulo Portas e António José Seguro não tinham o direito de ficar calados quando apareceram as comparações entre a preguiça dos portugueses e dos gregos, uma comparação descabida entre dois dos povos europeus que trabalham mais horas anualmente. Em vez da resposta que se impunha, roubaram ao seu povo os quatro feriados que ofereceram aos seus Belmiros de estimação, pondo os portugueses a trabalhar à borla para todos eles. Um dia ainda havemos de saldar esta e outras continhas: a legislação laboral que flexibilizaram para maximizar a exploração, os subsídios de desemprego que reduziram e fizeram depender da humilhação de ser voluntário à força, a redução das indemnizações por despedimento, temos muito para conversar.

1 comentário:

fb share disse...

Reagindo a comparações com Chipre (os balanços dos bancos do Luxemburgo são 23 vezes o valor do seu PIB, contra 7 no Chipre), o ministro dos Negócios Estrangeiros luxemburguês afirmou que “a Alemanha não tem o direito de decidir sobre o modelo económico de outros países da União Europeia”. Pedro Passos Coelho, Paulo Portas e António José Seguro não tinham o direito de ficar calados quando apareceram as comparações entre a preguiça dos portugueses e dos gregos, uma comparação descabida entre dois dos povos europeus que trabalham mais horas anualmente. Em vez da resposta que se impunha, roubaram ao seu povo os quatro feriados que ofereceram aos seus Belmiros de estimação, pondo os portugueses a trabalhar à borla para todos eles. Um dia ainda havemos de saldar esta e outras continhas.