terça-feira, 26 de março de 2013

O desemprego finalmente a diminuir

O ex-director do SIED Jorge Silva Carvalho foi integrado nos quadros da Presidência do Conselho de Ministros, com efeitos a 1 de Dezembro de 2010, estipula um despacho assinado pelo primeiro-ministro e pelo ministro das Finanças, publicado nesta terça-feira em Diário da República. Silva Carvalho irá receber retroactivamente todos os salários desde a data em que se demitiu, apesar do pedido de demissão ter sido apresentado por sua exclusiva iniciativa.
E de ter exercido outra actividade.  O ex-espião começou a trabalhar oficialmente como administrador da Ongoing a 2 de Janeiro de 2011, esteve no grupo durante um ano, e depois acabou por se demitir ainda durante a fase de investigações do Ministério Público. Em Maio do ano passado, Silva Carvalho foi acusado dos crimes de abuso de poder, violação de segredo de Estado e de acesso indevido a dados pessoais. O espião pediu ao director operacional do SIED, João Luís, que lhe arranjasse dados dos telefonemas e sms do telemóvel do jornalista do PÚBLICO Nuno Simas para perceber quem, nos serviços, estaria a passar informações para fora. De acordo com o processo, ainda enquanto director do SIED, Silva Carvalho passou informações classificadas para a Ongoing e, já depois de deixar os serviços e estando a trabalhar como administrador do grupo, continuou a pedir dados aos operacionais que lhe eram próximos.

Sem comentários: