sábado, 23 de março de 2013

Gostei de ler: "Neoliberal é o Governo"



«"Neoliberal é a avozinha", diz-nos João Miguel Tavares no Público de hoje. Pede para que deixemos de usar o adjectivo "liberal" para caracterizar a acção deste governo. Pede para que continuemos a alinhar pelo romance do liberalismo de uma certa elite intelectual portuguesa. Pede para que deixemos que a fraude conveniente continue. Nem pensar. Isto é neoliberalismo em acção, como já aqui, por exemplo, se argumentou. Mesmo a questão fiscal é parte de uma estratégia mais vasta. É feio, bruto e mau? É. Mas digo-vos que tenho mais respeito por quem enfrenta isto de frente e o aceita com consciência de classe, Borges e Gaspar, por exemplo, do que por esta gente que sonha com ideologias puras e limpas para dar "mais liberdade aos indivíduos", esquecendo-se que as questões centrais no capitalismo, ou em qualquer outro sistema, já agora, são outras: Quem tem liberdade e quem está vulnerável a essa liberdade? Quem pode impor custos sobre quem? Quem controla o Estado e os outros instrumentos de poder menos visíveis? E não me venha com a conversa da "incapacidade para reformar o país". De que fala? De privatizações? Está a ser feito. De desregulamentação laboral e consequente perda de poder do trabalho organizado? Feito e ainda haverá mais. De regras ambientais menos estritas? Também. De cortes no Estado social? Claro. De despedimentos na função pública? Siga. Sinceramente, já não há pachorra para isto. Neoliberal é o governo que existe, deixe as empobrecidas avozinhas em paz.» – João Rodrigues, no Ladrões de Bicicletas.


5 comentários:

Anónimo disse...

Também penso que este governo não é liberal.
Liberal é aquele governo que não interfere na economia.
Estes interferem para benefício do bolso deles e de alguns muito poderosos.
Neocons talvez os defina de forma mais correcta.

Filipe Tourais disse...

Um Governo que não interfira na economia não serve para nada, é como a rainha de Inglaterra. Se ler bem o texto, a posição que lá se expressa é que esse governo neutro só existe na cabeça de uns quantos iluminados, é pura ficção.

Anónimo disse...

Um governo liberal não é ficção. Um governo que se limite a assegurar as funções básicas do Estado (defesa e segurança) e a ter uma intervenção mínima na economia (alguma regulamentação e nenhuma redistribuição) é perfeitamente possível.
Embora não acredite, nem por sombras, que seja uma boa ideia.

Filipe Tourais disse...

É, com os efeitos que se conhecem na generalização da pobreza e da concentração da riqueza. Logo, não é neutro, a ficção dos liberais.

Anónimo disse...

É obvio que quando o estado não actua, os mais fortes esmagam os mais fracos. Mas é ainda pior quando o estado ajuda os fortes a subjugar os fracos (e, infelizmente, temos muitos exemplos disso).
A protecção dos mais fracos é o que distingue uma sociedade evoluída da "lei da selva".