sexta-feira, 1 de março de 2013

Da longa série "empreendedores por conta da casa"

Um empreendedor português pegou nuns dinheiritos que tinha depositados na Suíça e criou duas empresas em Moçambique, uma ligada ao turismo e outra à importação e exportação. A notícia seria banal se o dinheirito em causa não tivesse a enorme probabilidade de ser o mesmo dinheiro que o dito empreendedor roubou a todos os portugueses e se o fulano em causa não fosse alguém que, apesar de há muito ter sido condenado pela Justiça portuguesa, continua a ter total liberdade para se deslocar ao estrangeiro quantas vezes lhe der na real gana para aí criar as condições necessárias para realizar uma viagem só de ida, sem que dessa dolorosa decisão lhe resulte o menor dano. De quem se trata? De Isaltino Morais, que está em visita oficial a Moçambique. E no “oficial” da frase anterior está a informação adicional da honra que este respeitável empresário nos concedeu de, para além do investimento,  também lhe pagarmos a viagem. Aquilo são assim uma espécie de empresas públicas. Mas para tratar com carinho.

(editar) 

1 comentário:

fb disse...

Um empreendedor português pegou nuns dinheiritos que tinha depositados na Suíça e criou duas empresas em Moçambique, uma ligada ao turismo e outra à importação e exportação. A notícia seria banal se o dinheirito em causa não tivesse a enorme probabilidade de ser o mesmo dinheiro que o dito empreendedor roubou a todos os portugueses e se o fulano em causa não fosse alguém que, apesar de há muito ter sido condenado pela Justiça portuguesa, continua a ter total liberdade para se deslocar ao estrangeiro quantas vezes lhe der na real gana para aí criar as condições necessárias para realizar uma viagem só de ida, sem que dessa dolorosa decisão lhe resulte o menor dano. De quem se trata? De Isaltino Morais, que está em visita oficial a Moçambique. E no “oficial” da frase anterior está a informação adicional de que voltámos a ser nós a pagar-lhe a viagem.