sábado, 30 de março de 2013

Adeus, euro cruel


. Os depósitos de montantes superiores a 100.000 euros no maior banco da República de Chipre poderão perder cerca de 60%, anunciou o banco central do país. Depois de nacionalizar os impostos dos cidadãos, agora nacionalizam-se os depósitos dos cidadãos. A Europa prefere desintegrar-se a nacionalizar bancos e a livrar-se de vez do parasitismo da sua elite financeira. É que os mercados não iriam gostar nada e há que recuperar-lhes a confiança. Adeus, euro cruel.
Acabou-se a festa.

1 comentário:

arménio pereira disse...

Será desta?