sábado, 23 de março de 2013

A loucura volta a desafiar a democracia


De acordo com fontes cipriotas citadas por congéneres nacionais, o Executivo cipriota terá cedido novamente às imposições da troika, que se deu ao luxo de fixar a próxima Segunda-feira como prazo limite para a resolução de um problema criado pela sua própria loucura, e terá aceite aplicar uma taxa diferenciada consoante o banco a todos os depósitos acima de 100 mil euros, de 20% sobre os depósitos no Banco do Chipre e de 4% sobre todos os restantes. Pior a emenda que o disparate inicial. Como a loucura parece ter perdido completamente o pudor, as mesmas fontes noticiam que o Presidente cipriota se deslocará a Bruxelas para tornar público o acordo que firmou antes mesmo do Parlamento se pronunciar. Caberá agora ao Parlamento voltar a mostrar que existe e que a democracia não está suspensa também em Chipre, como tem acontecido noutros países intervencionados nesta fase em que o euro dá os últimos suspiros.

Sem comentários: