terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Isto continua a aquecer




Logo à chegada ao ISCTE, em Lisboa, Miguel Relvas foi recebido com gritos de “demissão!” e “para os bancos só milhões, para o ensino só tostões!” e apupos de dezenas de alunos.

Dentro do auditório onde deveria encerrar a conferência sobre o futuro do jornalismo, organizada pela TVI para assinalar os 20 anos da estação, cerca de uma centena de alunos levantou-se assim que o ministro entrou na sala e fez um barulho ensurdecedor, empunhando cartazes e uma enorme faixa que não se tinham ainda visto. “Bolsas sim, propinas não! Este Governo não tem educação!”, gritou-se repetidamente. Quando os gritos acalmaram, ouviu-se uma pergunta: “Vieste às aulas hoje?”.

Quando Miguel Relvas subiu ao palco para falar, o ruído ensurdecedor voltou. O ministro esperou uns minutos, de sorriso de plástico no rosto, mas depois desistiu. Desceu do palco, rodeado por seguranças, cumprimentou os responsáveis da TVI e da Media Capital que se encontravam na primeira fila e saiu. Sempre ao som de frases como “Dói a propina! Dói a propina!”, “Está na hora, está na hora de o Governo ir embora!” e ainda “Estudantes unidos jamais serão vencidos!”.

Já fora do auditório, Miguel Relvas, sempre escoltado por alunos e pela sua segurança,  tentou sair por diversas portas do edifício, mas as saídas estavam barradas por grupos de estudantes, que também fizeram uma espera ao ministro junto aos automóveis da sua comitiva. Na rua ouviu-se Grândola, Vila Morena, que nos últimos dias tem sido a banda sonora de protesto contra o Governo: foi-o no debate quinzenal no Parlamento, no final da semana passada, voltou a sê-lo ontem num  debate em V.N. Gaia onde Relvas era o convidado e voltou a sê-lo hoje, no ISCTE. É a segunda vez em dois dias que Miguel Relvas tem uma recepção como merece. Desta vez, ao contrário de ontem, nem sequer conseguiu falar. E já está a circular uma convocatória para receber Vítor Gaspar como ele merece num evento em que participará na próxima Quinta-feira. Isto continua a aquecer.

2 comentários:

Anónimo disse...

Finalmente quem não merece as vaias?
Aqueles que endividaram o País?
Venham êles. Só que agora já não têm o dinheiro dos outros para darem milho às galinhas e engordarem as vacas.

Filipe Tourais disse...

Aqueles que endividaram o país, como pode ler num post a seguir a este, é também este Governo, tal como foi o anterior. Venhaquem não ajudou a endividar o país, há partidos fora do centrão.