sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O moralista e o monte


Medina Carreira foi ontem alvo de buscas na sua casa e escritório nas Laranjeiras, em Lisboa, lideradas pelo juiz de instrução criminal Carlos Alexandre, no âmbito do processo Monte Branco – a investigação à maior rede de sempre de branqueamento de capitais e fuga ao Fisco detectada em Portugal, que operava a partir da Suíça. O mandado de busca do juiz Carlos Alexandre indicia que o nome do fiscalista foi encontrado nos documentos apreendidos a Canas como tendo três offshores geridas por Michel Canals, e que será mais um cliente da organização. Canals, recorde-se, é o cidadão suíço que dirigia a rede e que é também arguido no caso, estando actualmente em liberdade provisória. No caso de Medina Carreira, estarão em causa “apenas” transferências do banco UBS, na Suíça, para Portugal, efectuadas desde 2006 e no valor global de mais de meio milhão de euros.

3 comentários:

Facebook share disse...

Medina Carreira foi ontem alvo de buscas na sua casa e escritório nas Laranjeiras, em Lisboa, lideradas pelo juiz de instrução criminal Carlos Alexandre, no âmbito do processo Monte Branco – a investigação à maior rede de sempre de branqueamento de capitais e fuga ao Fisco detectada em Portugal, que operava a partir da Suíça. O mandado de busca do juiz Carlos Alexandre indicia que o nome do fiscalista foi encontrado nos documentos apreendidos a Canas como tendo três offshores geridas por Michel Canals, e que será mais um cliente da organização. Canals, recorde-se, é o cidadão suíço que dirigia a rede e que é também arguido no caso, estando actualmente em liberdade provisória. No caso de Medina Carreira, estarão em causa “apenas” transferências do banco UBS, na Suíça, para Portugal, efectuadas desde 2006 e no valor global de mais de meio milhão de euros.

Luís disse...

Olha que me cheira a esturro...

Luís disse...

Olha que cheira-me a esturro...